Compartilhar
Informação da revista
Vol. 01. Núm. 20.
Páginas 1-11 (julho 2022)
Compartilhar
Compartilhar
Baixar PDF
Mais opções do artigo
Vol. 01. Núm. 20.
Páginas 1-11 (julho 2022)
Acesso de texto completo
Critérios para deficiência de ferro em pacientes com insuficiência cardíaca
Visitas
1207
Gabriele Masinia, Fraser J. Grahamb, Pierpaolo Pellicorib, John G.F. Clelandb, Joseph J. Cuthbertc, Syed Kazmic, Riccardo M. Inciardia, Andrew L. Clarkc
a Departamento de Especialidades Médicas e Cirúrgicas, Radiological Sciences and Public Health, University of Brescia, Bréscia, Itália.
b Centro Robertson de Bioestatística, University of Glasgow, Glasgow, Reino Unido.
c Hull University Teaching Hospitals NHS Trust, Hull, Reino Unido.
Este item recebeu
Informação do artigo
Resumen
CONTEXTO

Diretrizes sobre insuficiência cardíaca (IC) definem a deficiência de ferro (DF) como ferritina sérica

OBJETIVOS

Este estudo buscou investigar como diferentes definições de DF afetam sua prevalência e sua relação com o prognóstico em pacientes ambulatoriais com IC crônica.

MÉTODOS

A prevalência, a relação com as características dos pacientes e os desfechos das várias definições de DF foram avaliados entre os pacientes com IC encaminhados para uma clínica regional (Hull LifeLab) de 2001 a 2019.

RESULTADOS

Dos 4.422 pacientes com IC (mediana de idade 75 anos [intervalo: 68-82 anos], 60% homens, 32% com fração de ejeção reduzida), 46% apresentavam IST <20%, 48% apresentavam ferro sérico ≤13 μmol/L, 57% apresentavam ferritina sérica <100 ng/mL e 68% preenchiam os critérios para DF das diretrizes, dos quais 35% apresentavam IST >20%. Independentemente da definição, a DF foi mais comum em mulheres e nos pacientes com sintomas mais graves, anemia ou fração de ejeção preservada. IST <20% e ferro sérico ≤13 μmol/L, mas não os critérios das diretrizes, foram associados a maior mortalidade em 5 anos (hazard ratio [HR]: 1,27; IC95%: 1,14-1,43; P < 0,001; e HR: 1,37; IC95%: 1,22-1,54; P < 0,001, respectivamente). Ferritina sérica <100 ng/mL foi geralmente associada a menor mortalidade (HR: 0,91; IC95%: 0,81-1,01; P = 0,09).

CONCLUSÕES

Diferentes definições de DF obtiveram resultados discordantes para prevalência e prognóstico. As definições com pouca especificidade podem atenuar os benefícios do ferro intravenoso observados em ensaios clínicos, enquanto definições com pouca sensibilidade podem excluir pacientes que deveriam receber ferro intravenoso. Análises de subgrupos predeterminados de ensaios clínicos em andamento devem abordar essa questão. (J Am Coll Cardiol 2022;79:341- 351) © 2022 Os autores. Publicado por Elsevier em nome do American College of Cardiology Foundation Este artigo é de acesso aberto sob a licença CC BY (http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/).

O texto completo está disponível em PDF
JACC. Ediçao em potugués
Opções de artigo
Ferramentas

Você é um profissional de saúde habilitado a prescrever ou dispensar medicamentos?