Compartilhar
Informação da revista
Vol. 01. Núm. 15.
Páginas 128-142 (Março 2021)
Compartilhar
Compartilhar
Baixar PDF
Mais opções do artigo
Vol. 01. Núm. 15.
Páginas 128-142 (Março 2021)
Acesso de texto completo
Avaliação e manejo de pacientes com angina estável: além do paradigma da isquemia. Revisão do Estado da Arte do JACC
Visitas
...
Richard Ferraroa, Jacqueline M. Latinaa, Abdulhamied Alfaddagha, Erin D. Michosa, Michael J. Blahaa, Steven R. Jonesa, Garima Sharmaa, William E. Bodenb, Jeffrey C. Trosta, William S. Weintraubc, João A.C. Limaa, Roger S. Blumenthala, Valentin Fusterd,e, Armin Arbab-Zadeha
a Departamento de Medicina, Divisão de Cardiologia, Faculdade de Medicina da Johns Hopkins University, Baltimore, Maryland, EUA.
b VA New England Healthcare System, Faculdade de Medicina da Boston University, Boston, Massachusetts, EUA.
c MedStar Heart & Vascular Institute, Washington Hospital Center, Washington, DC, EUA.
d Departamento de Medicina, Divisão de Cardiologia, Mount Sinai Medical Center, Faculdade de Medicina Icahn no Mount Sinai Medical Center, Nova Iorque, Nova Iorque, EUA.
e Centro Nacional de Investigaciones Cardiovasculares (CNIC), Madrid, Espanha.
Informação do artigo
Resumen
RESUMO.A coronariopatia é uma doença crônica e sistêmica com uma ampla variedade de sintomas, desfechos clínicos e gastos com saúde associados. Os eventos adversos da coronariopatia podem ser mitigados ou evitados com alterações no estilo de vida e nos fatores de risco, além de terapia médica. Essas medidas são eficazes no retardamento da progressão da doença aterosclerótica e na redução do risco de trombose no caso de rupturas de placa. Com o aumento da eficácia da prevenção e da terapia médica, o papel da revascularização da artéria coronária diminuiu e está amplamente restrito a subgrupos de pacientes com angina inaceitável, disfunção sistólica ventricular esquerda grave ou anatomia coronária de alto risco. Há uma necessidade urgente de alocar recursos de modo adequado para melhorar a prevenção. Neste artigo, revisamos as evidências científicas em apoio a terapia médica e revascularização para o manejo de pacientes com coronariopatia estável e discutimos as implicações para a avaliação de pacientes com angina estável e para políticas públicas. (J Am Coll Cardiol 2020;76:2252-66) © 2020 pela American College of Cardiology Foundation.
O texto completo está disponível em PDF
JACC. Ediçao em potugués

Receba a nossa Newsletter

Opções de artigo
Ferramentas

Você é um profissional de saúde habilitado a prescrever ou dispensar medicamentos?