Compartilhar
Informação da revista
Vol. 01. Núm. 07.
Páginas 71-87 (Junho 2019)
Compartilhar
Compartilhar
Baixar PDF
Mais opções do artigo
Vol. 01. Núm. 07.
Páginas 71-87 (Junho 2019)
Acesso de texto completo
Microbiota intestinal na saúde e doença cardiovascular. Revisão do Estado da Arte do JACC
Visitas
154
W.H. Wilson Tanga,b,c, Fredrik B??ckhedd,e, Ulf Landmesserf, Stanley L. Hazena,b
a Center for Microbiome and Human Health, Lerner Research Institute, Cleveland Clinic, Cleveland, Ohio, EUA.
b Department of Cardiovascular Medicine, Heart and Vascular Institute, Cleveland Clinic, Cleveland, Ohio, EUA.
c Center for Clinical Genomics, Cleveland Clinic, Cleveland, Ohio, EUA.
d University of Gothenburg, Gothenburg, Suécia.
e Novo Nordisk Foundation Center for Basic Metabolic Research and Section for Metabolic Receptology and Enteroendocrinology, Faculty of Health Sciences, University of Copenhagen, Copenhagen, Dinamarca.
f Charité Universitätsmedizin Berlin, Berlin Institute of Health (BIH), Berlin, Alemanha e German Center for Cardiovascular Research (DZHK), Berlin, Alemanha.
Informação do artigo
Resumen
Resumo Apesar de grandes avanços na redução do ônus da doença cardiovascular (DCV) com a modificação dos fatores clássicos de risco de DCV, riscos residuais significativos persistem. Descobertas recentes que ligavam microbiota intestinal e DCV têm ampliado a nossa compreensão de como os nutrientes alimentares podem afetar a saúde e a doença cardiovascular. Embora a última geração de técnicas de sequenciamento possa identificar os participantes da comunidade microbiana intestinal e dispor de ideias sobre as mudanças da composição microbiana em retorno a respostas fisiológicas e exposições alimentares, disposições sobre prebióticos ou probióticos ainda precisam demonstrar benefício terapêutico para a DCV. A nossa compreensão cada vez maior sobre moduladores fisiológicos derivados da microbiota intestinal (por exemplo, ácidos graxos de cadeia curta) e mediadores patogênicos (por exemplo, N-óxido de trimetilamina) de suscetibilidade à doença do hospedeiro tem criado oportunidades terapêuticas possíveis para melhorar a saúde cardiovascular. Esta revisão discute as funções da microbiota intestinal humana na fisiologia normal, suas associações com susceptibilidades da DCV, e o potencial de modular a composição da microbiota intestinal e o metabolismo como um novo alvo terapêutico para DCV. (J Am Coll Cardiol 2019;73:2089–105) © 2019 pela American College of Cardiology Foundation.
O texto completo está disponível em PDF
JACC. Ediçao em potugués

Receba a nossa Newsletter

Opções de artigo
Ferramentas

Você é um profissional de saúde habilitado a prescrever ou dispensar medicamentos?

Política de cookies
Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.