Compartilhar
Informação da revista
Vol. 1. Núm. 1.Março 2018
Páginas 5-70
Compartilhar
Compartilhar
Baixar PDF
Mais opções do artigo
Vol. 1. Núm. 1.Março 2018
Páginas 5-70
Benznidazol e Posaconazol na Eliminação de Parasitas em Portadores Assintomáticos de T. Cruzi. O Ensaio clinico STOP-CHAGAS
Visitas
69
Carlos A. Morilloa, Hetty Waskinb, Sergio Sosa-Estanic, Maria del Carmen Bangherd, Carlos Cuneoe, Rodolfo Milesif, Marcelo Mallagrayg, Werner Apth, Juan Beloscari, Joaquim Gasconj, Israel Molinak, Luis E. Echeverrial, Hugo Colombom, Jose Antonio Perez-Molinan, Fernando Wysso, Brandi Meeksa, Laura R. Bonillaa, Peggy Gaoa, Bo Weib, Michael McCarthyp, Salim Yusufa
a McMaster University, Population Health Research Institute, Hamilton, Ontario, Canada.
b Merck Sharp and Dohme Corporation, Kenilworth, New Jersey.
c Instituto Nacional de Parasitología “Dr. Mario Fatala Chaben”–Administración Nacional de Laboratorios e Institutos de Salud (ANLIS), Buenos Aires, Argentina.
d Instituto de Cardiologia de Corrientes “Juana F. Cabral,” Corrientes, Argentina.
e Prevención Cardiovascular, Hospital San Bernardo, Salta, Argentina.
f Centro de Diagnóstico y Rehabilitación (CEDIR), Rosario, Santa Fe, Argentina.
g Sanatorio Nuestra Señora del Rosario, Centro de Investigaciones Médicas, San Salvador de Jujuy, Argentina.
h Faculty of Medicine University of Chile, Basic Clinical Laboratory of Parasitology, Biomedical Science Institute, Santiago, Chile.
i Hospital Provincial del Centenario, Rosario, Argentina.
j ISGlobal, Barcelona Centre for International Health Research, Hospital Clinic Barcelona, Barcelona, Spain.
k Infectious Disease Department, Vall d’Hebron Teaching Hospital, Program of the Catalan Institute of Health, Universitat Autónoma de Barcelona, Barcelona, Spain.
l Fundación Cardiovascular de Colombia, Floridablanca, Colombia.
m Clinica Privada Colombo, Cordoba, Argentina.
n Hospital Ramon y Cajal, National Referral Centre for Tropical Diseases, Infectious Diseases Department, Instituto Ramón y Cajal para Investigacion en Salud (IRYCIS), Madrid, Spain.
o Sociedad Centroamericana de Hipertensión Arterial y Prevención Cardiovascular CARDIOCLINIK, Guatemala, Guatemala.
p Medimmune, Gaithersburg, Maryland.
Este item recebeu
69
Visitas
Informação do artigo

FUNDAMENTOS O benznidazol está recomendado para o tratamento da infecção de Chagas. Os efeitos da terapia combinada com o benznidazol e posaconazol não foram testados nos portadores de Trypanosoma cruzi.

OBJETIVOS O propósito desse estudo foi determinar se o posaconazol isoladamente ou combinado com benznidazol foi superior à monoterapia com benznidazol na eliminação dos parasitas de T. cruzi avaliada por reação em cadeia da polimerase (RT-PCR) nos portadores assintomáticos de Chagas.

MÉTODOS Um estudo prospectivo multicêntrico randomizado controlado por placebo foi conduzido em 120 indivíduos da América Latina e da Espanha, os quais foram randomizados para 4 grupos: posaconazol 400 mg duas vezes ao dia (bid); benznidazol 200 mg + placebo bid; benznidazol 200 mg bid + posaconazol 400 mg bid; ou placebo 10 mg bid. O ácido desoxirribonucleico do T. cruzi foi detectado por RT-PCR em 30, 60, 90, 120, 180 e 360 dias. O desfecho primário de eficácia foi a proporção de indivíduos com RT-PCR persistentemente negativa no dia 180; o desfecho secundário foi RT-PCR negativa em 360 dias.

RESULTADOS Apenas 13,3% dos que receberam posaconazol e 10% dos que receberam placebo atingiram o desfecho primário, em comparação com 80% dos que receberam benznidazol + posaconazol e 86,7% dos que receberam monoterapia com benznidazol (p <0,0001 versus posaconazol/placebo). A monoterapia com posaconazol ou posaconazol combinada com benznidazol atingiram taxas de conversão elevadas da RT-PCR durante o tratamento (30 dias; 93,3% e 88,9% e 60 dias; 90% e 92,3%) que foram semelhantes ao benznidazol (89,7% e 89,3%); todas foram superiores ao placebo ou posaconazol (10% e 16,7%, p <0,0001). Isso não foi observado em 360 dias; o benznidazol + posaconazol e o benznidazol em monoterapia (ambos 96%) versus placebo (17%) e posaconazol (16%, p <0,0001). Eventos adversos sérios foram raros (6 pacientes) e foram observados nos pacientes tratados com benznidazol. A descontinuação permanente foi registrada em 19 pacientes (31,7%) que estavam recebendo quer monoterapia com benznidazol quer combinada com posaconazol.

CONCLUSÕES O posaconazol demonstrou atividade tripanostática durante o tratamento, mas é ineficaz a longo prazo nos portadores de T. cruzi assintomáticos. A monoterapia com benznidazol é superior ao posaconazol, com elevadas taxas de conversão da RT-PCR sustentadas em um ano. Os efeitos adversos levaram à descontinuação da terapia em 32%. Não foram observadas vantagens com a terapia combinada versus monoterapia com benznidazol. (A Study of the Use of Oral Posaconazole [POS] in the Treatment of Asymptomatic Chronic Chagas Disease [P05267] [STOP CHAGAS]: NCT01377480)

Palavras-chave:
Doença de Chagas, análise de intenção de tratar, parasitemia, reação em cadeia da polimerase, falha no tratamento, agentes tripanossomicidas
O texto completo está disponível em PDF
JACC. Ediçao en potugués

Receba nossa Newsletter

Opções de artigo
Ferramentas
Política de cookies
Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.

Você é um profissional de saúde habilitado a prescrever ou dispensar medicamentos?